{

012

 

amor embalado

 

}

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

produção e estilo: Heroína - Alexandre Linhares 41.3233.4810 / jóias: Rodrigo Alarcón rodrigoalarcon.com 41.3016.0602 / beleza: Thifany F. 41.8819.1044 / buquês: Manu Daher manudaher.com 41.3222.8334 / música: Cesar Munhoz, com part. esp. de João Gabriel Linhares Pulner e Letícia Linhares Pulner cesarmunhoz.com  41.9649.1512 / sapatos: Shoes 4u 41.3224.5553 / desfilaram em "o amor embalado, Christo e Jeanne-Claude": Renato Linhares, Marina Ferreira, Manon Zf, Livia Deschermayer, Yamba Daher, Maite Schneider, Leticia Linhares Pulner, Larissa Manuela, Marcelo Silverio e Laura Mór/ fotos: Robson Chaves Fotografia

A ideia essencial por debaixo de todos os panos em “o amor embalado - Christo e Jeanne - Claude” é saudar o intenso e controverso trabalho do casal de artistas, que desde 1958 se propõe a empacotar (com tecidos de nylon) objetos, edifícios, árvores, ilhas e monumentos - sintetizando vida e trabalho numa realização efêmera instalada nas ruas : “um terreno mais facilmente acessado que um espaço restrito de galeria de arte”. O uso do pano, nas palavras do próprio Christo, é uma maneira de “enxergar o vento”. Essa afirmação, no entanto, não visa “explicar” sua obra - que busca chamar a atenção para um novo olhar na paisagem rotineira - mas fortalecer o pensamento sobre a liberdade artística. As obras demoram até 20 anos para tomarem forma e são financiadas com dinheiro próprio dos dois, obtido com a venda de obras originais e desenhos de estudos. Jeanne - Claude faleceu em 19.11.2009 - Christo lhe prometeu dar continuidade ao trabalho dos 2 - e seu corpo foi doado à ciência.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom