é, não é e é

 

{

março 014

 

100_1691
100_1691
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

o que eu havia pensado como o 4º tempo de

quadrilátero do milho, tomou outro rumo e precisou ser re-significado.

 

na maioria das vezes, todos nós nos fixamos em situações e objetos. esta fixação é que nos faz sofrer. quando vemos algo, criamos na mente o objeto e o observador, por isso da importância de compreendermos a vacuidade e a impermanência de todas as coisas.

 

 

 

 

 

estrela: Thifany F. / fotos e vídeo: Alexandre Linhares

registrados no dia 9 de março de 2014,

das 11h às 14h, em Curitiba, Paraná, Brasil.

no vídeo contém trechos de "The Mantra of Guru Rinpoche" e de "se vê que vai cair, deita de vez" de Janaína Fellini.